Argentina pede que Brasil retome importações de maçãs; país mantém bloqueio

quinta-feira, 26 de março de 2015 18:03 BRT
 

BUENOS AIRES (Reuters) - A Argentina pediu nesta quinta-feira ao governo brasileiro que levante a suspensão das importação de maçãs e peras instituída esta semana após as autoridades brasileiras detectarem a presença de uma praga conhecida como traça da maçã em carregamentos da Argentina.

Em comunicado, o Ministério da Agricultura argentino disse que a situação atual da praga "Cydia pomonella" é exatamente a mesma que em anos anteriores e que, portanto, as autoridades argentinas não concordam com a decisão do Ministério da Agricultura brasileiro.

O Brasil suspendeu a importação das frutas na terça-feira, dizendo que a medida visa a proteger os produtores de um eventual retorno da praga erradicada em 2014.

"O atual comércio de maçãs, peras e marmelos da Argentina para o Brasil é coberto em um acordo bilateral fitossanitário, por meio de um programa que oferece garantias suficientes em matéria de proteção fitossanitária ao país vizinho", disse o ministério argentino.

O Ministério da Agricultura do Brasil afirmou nesta quinta-feira que discorda dos termos da nota divulgada pelo governo argentino, e ressaltou que o bloqueio aos frutos argentinos continua.

O bloqueio pode estremecer as relações comerciais com o país vizinho --tradicionalmente o maior fornecedor de trigo ao Brasil--, ainda que o comércio das frutas envolva valores relativamente pequenos perto das exportações e importações dos principais produtos do agronegócio nacional.

Em nota anterior, o governo brasileiro havia afirmado que constatou a praga em carregamentos de frutas da Argentina.

Segundo comunicado do governo brasileiro nesta quinta-feira, a suspensão das importações de maçã, pera e marmelo estão condicionadas ao resultado da inspeção ao sistema de mitigação de riscos da Argentina.

O Brasil havia ameaçado um bloqueio às importações de maçã argentina na semana passada, caso o governo argentino não permitisse que técnicos brasileiros inspecionassem áreas no país vizinho suspeitas de ter uma praga que ataca as macieiras, segundo fontes do governo brasileiro.   Continuação...