Bovespa encerra semana no vermelho pressionada por bancos e tombo de 9% de Gerdau

sexta-feira, 27 de março de 2015 18:33 BRT
 

Por Paula Arend Laier

SÃO PAULO (Reuters) - A Bovespa fechou a sexta-feira em queda, mas conseguiu sustentar o seu principal índice acima dos 50 mil pontos, apesar da forte pressão negativa de bancos e do tombo da siderúrgica Gerdau, em sessão de intenso noticiário corporativo.

O Ibovespa caiu 0,96 por cento, a 50.094 pontos, tendo tocado 49.908 pontos no pior momento do dia. O volume financeiro do pregão somou 6,58 bilhões de reais.

Na semana, o índice acumulou declínio de 3,6 por cento.

O avanço das ações de exportadoras, como da empresa de papel e celulose Fibria, ajudou a limitar a queda do índice.

As ações do grupo Gerdau despencaram cerca de 9 por cento, com operadores citando reportagem do jornal O Globo, segundo a qual uma das companhias do empresário Jorge Gerdau Johannpeter estaria entre as investigadas em operação visando desarticular organização suspeita de manipulação bilionária de julgamentos de processos junto ao Conselho Administrativo de Recursos Fiscais (Carf).

A Gerdau esclareceu à Reuters que, até o momento, não foi contatada por nenhuma autoridade pública a respeito da Operação Zelotes. Também reiterou que possui rigorosos padrões éticos na condução de seus pleitos junto aos órgãos públicos.

A Gerdau também comunicou ao mercado nesta quinta e sexta-feiras propostas de mudanças na estrutura de governança, incluindo a saída do Nível 1 de governança da bolsa e alterações no Conselho de Administração.

Petrobras oscilou pelos campos positivo e negativo, com o mercado avaliando a decisão da União de indicar o presidente-executivo da Vale, Murilo Ferreira, para ser eleito presidente do Conselho da petrolífera em assembleia em abril. As ações preferenciais fecharam em alta de 0,32 por cento, enquanto as ordinárias recuaram 0,11 por cento.   Continuação...