27 de Março de 2015 / às 21:34 / em 2 anos

Bovespa encerra semana no vermelho pressionada por bancos e tombo de 9% de Gerdau

SÃO PAULO (Reuters) - A Bovespa fechou a sexta-feira em queda, mas conseguiu sustentar o seu principal índice acima dos 50 mil pontos, apesar da forte pressão negativa de bancos e do tombo da siderúrgica Gerdau, em sessão de intenso noticiário corporativo.

O Ibovespa caiu 0,96 por cento, a 50.094 pontos, tendo tocado 49.908 pontos no pior momento do dia. O volume financeiro do pregão somou 6,58 bilhões de reais.

Na semana, o índice acumulou declínio de 3,6 por cento.

O avanço das ações de exportadoras, como da empresa de papel e celulose Fibria, ajudou a limitar a queda do índice.

As ações do grupo Gerdau despencaram cerca de 9 por cento, com operadores citando reportagem do jornal O Globo, segundo a qual uma das companhias do empresário Jorge Gerdau Johannpeter estaria entre as investigadas em operação visando desarticular organização suspeita de manipulação bilionária de julgamentos de processos junto ao Conselho Administrativo de Recursos Fiscais (Carf).

A Gerdau esclareceu à Reuters que, até o momento, não foi contatada por nenhuma autoridade pública a respeito da Operação Zelotes. Também reiterou que possui rigorosos padrões éticos na condução de seus pleitos junto aos órgãos públicos.

A Gerdau também comunicou ao mercado nesta quinta e sexta-feiras propostas de mudanças na estrutura de governança, incluindo a saída do Nível 1 de governança da bolsa e alterações no Conselho de Administração.

Petrobras oscilou pelos campos positivo e negativo, com o mercado avaliando a decisão da União de indicar o presidente-executivo da Vale, Murilo Ferreira, para ser eleito presidente do Conselho da petrolífera em assembleia em abril. As ações preferenciais fecharam em alta de 0,32 por cento, enquanto as ordinárias recuaram 0,11 por cento.

As preferenciais da mineradora Vale caíram 2,74 por cento nesta sessão, após os preços do minério de ferro no mercado físico da China atingirem nova mínima recorde.

O papel do banco Itaú Unibanco caiu 1,74 por cento após informar que foi aprovada a proposta de bonificação de 10,15 bilhões de reais aos acionistas, mediante operação de aumento de capital com uso de reservas de lucro. No ano anterior, a bonificação havia sido de 15 bilhões de reais.

As ações da Oi reverteram as perdas iniciais e subiram mais de 3 por cento, depois que a operadora de telecomunicações informou que focará em redução de custos e geração de caixa em 2015, após ter tido prejuízo de 4,4 bilhões de reais em 2014.

O último pregão da semana foi marcado também pela repercussão dos resultados de Qualicorp, Cemig, Sabesp e CPFL Energia, entre outras notícias corporativas, assim como o desempenho da economia brasileira em 2014.

Em Wall Street, os índices acionários interromperam a série de quatro dias de queda, após notícias sobre discussões de fusões no segmento de semicondutores ajudarem a impulsionar o setor de tecnologia.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below