Bovespa sobe 2,3% e volta a 51 mil pts com cenário externo e noticiário corporativo

segunda-feira, 30 de março de 2015 18:07 BRT
 

Por Paula Arend Laier

SÃO PAULO (Reuters) - O principal índice da Bovespa fechou em alta nesta segunda-feira e recuperou o patamar dos 51 mil pontos perdido na semana passada, em meio ao quadro benigno nas bolsas no exterior e um noticiário corporativo local abundante, com Cesp entre os destaques positivos, após anunciar pagamento de dividendos.

O Ibovespa avançou 2,29 por cento, a 51.243 pontos, com papéis de bancos privados respondendo pela principal contribuição positiva, diante da alta de 3,37 por cento de Itaú Unibanco e de 2,10 por cento de Bradesco. As ações respondem juntas por quase 20 por cento do índice.

O volume financeiro da sessão somou 5,3 bilhões de reais.

Os discursos alinhados da presidente Dilma Rousseff e do ministro da Fazenda, Joaquim Levy, neste segunda-feira, após uma fala do ministro sobre a presidente ter gerado ruído, também ajudaram o mercado acionário.

Os papéis da Petrobras corroboraram o tom positivo, conforme investidores seguem analisando as mudanças no Conselho de Administração e aguardam a divulgação do balanço auditado da petroleira. As ações preferenciais da estatal fecharam em alta de 3,62 e as ordinárias avançaram 4,01 por cento.

No front internacional, o setor de biotecnologia figurou entre os nomes mais ativos em meio a uma série de anúncios de fusões e aquisições, favorecendo ganhos em Wall Street. O índice S&P 500 avançou 1,22 por cento. A possibilidade de novos estímulos econômicos na China também proporcionou suporte.

Em nota a clientes logo cedo, o analista Marco Aurelio Barbosa, da CM Capital Markets, ainda destacou os comentários da chair do Federal Reserve, na sexta-feira, "que não indicou que os juros nos Estados Unidos comecem a subir tão cedo quanto acreditavam alguns agentes do mercado".

O momento e intensidade da alta dos juros "fazem enorme diferença para o fluxo de capital de investimento de portfólio, principalmente para economias emergentes como a nossa", afirmou.   Continuação...