ANÁLISE-Mercado de boi gordo se descola da economia brasileira e aperta frigoríficos

quarta-feira, 1 de abril de 2015 15:24 BRT
 

Por Gustavo Bonato

SÃO PAULO (Reuters) - O mercado do boi gordo no Brasil continuará aquecido em 2015, com os preços pagos aos pecuaristas perto de patamares recordes, sustentados por uma oferta apertada e exportações fortes, em um cenário descolado da realidade de desaceleração da economia brasileira.

O preço da arroba bovina no Estado de São Paulo, uma das referências do mercado brasileiro, voltou a registrar recordes consecutivos no fim de março, apertando as margens de frigoríficos e do varejo.

O indicador Esalq/BM&FBovespa do boi gordo atingiu 147,61 reais/arroba na terça-feira, um patamar recorde. A valorização é de mais de 17 por cento em 12 meses.

"Tem um pouco de euforia com esses patamares de preço", disse Leonardo Alencar, gerente-executivo de Inteligência de Mercado na Minerva Foods, uma das maiores produtoras de carne bovina do Brasil.

"O pecuarista que faz a conta começa a se perguntar... Como meu boi só sobe e a economia toda piorando?", afirmou o executivo à Reuters.

A explicação está principalmente na oferta apertada de bovinos, muito mais do que na demanda, dizem os especialistas.

"Nós há alguns anos estamos alertando que existe um grave gargalo na produção de bezerros", disse o diretor da consultoria Informa Economics FNP, José Vicente Ferraz.

O diretor de Relações com Investidores da JBS, maior processadora de carnes do mundo, Jeremiah O'Callaghan, lembrou que a partir de 2010 o setor frigorífico no Brasil vinha registrando margens bastantes razoáveis, o que estimulou o abate.   Continuação...