ALL diz que credores aceitaram alavancagem de até 5,5x em união com Rumo

quarta-feira, 1 de abril de 2015 16:18 BRT
 

Por Priscila Jordão

SÃO PAULO (Reuters) - A América Latina Logística (ALL) disse que todos os seus credores, exceto o BNDES, aceitaram após negociações com a companhia um nível de alavancagem de até 5,5 vezes, medido no resultado consolidado com a Rumo Logística.

O número considera a alavancagem medida por dívidas bancárias líquidas sobre o Ebitda sem considerar leasing e outros passivos, disse o diretor financeiro da ALL, José Cezario, em teleconferência com analistas nesta quarta-feira.

A fusão das empresas começou a valer efetivamente nesta quarta-feira, com as ações da ALL deixando de serem negociadas na bolsa e o início da negociação dos papéis da Rumo.

As ações da Rumo exibiam queda de 0,7 por cento às 16h08, enquanto o Ibovespa tinha alta de 2 por cento.

Com o BNDES, a ALL deve iniciar o processo de discussão sobre a alavancagem e espera ter um novo nível acordado nos próximos meses, disse Cezario.

A ALL prometeu divulgar no próximo dia 23 um plano de investimentos para dar maior visibilidade sobre a companhia e ilustrar a capacidade de desalavancagem. A empresa disse não ter ainda uma meta de elevação do Ebitda.

"Devemos começar a reduzir (a alavancagem) a partir de 2017, quando os investimentos mais relevantes do plano começam a gerar benefícios mais expressivos", acrescentou.

Em função do aumento do nível de endividamento, causado por ajustes contábeis promovidos nas demonstrações financeiras, a ALL divulgou na noite de terça-feira que ultrapassou indicadores previstos em determinados contratos de financiamento. A companhia obteve o consentimento de credores para as alterações, bem como para a quebra do covenant e para "cross default" (waiver) nas oitava e a nona emissões de debêntures.   Continuação...