Ministro das Finanças grego discutirá reformas com chefe diretora do FMI

sábado, 4 de abril de 2015 12:38 BRT
 

ATENAS (Reuters) - O ministro das Finanças grego, Yanis Varoufakis, vai se reunir no domingo com a diretora-geral do FMI (Fundo Monetário Internacional), Christine Lagarde, em Washington, para discutir uma série de reformas planejadas que Atenas espera que irão liberar necessários fundos de resgate.

O inesperado encontro será “uma discussão informal sobre o plano de reformas da Grécia”, afirmou o ministro das Finanças em comunicado. Varoufakis se reunirá com membros do Tesouro norte-americano na segunda-feira, informou uma autoridade do governo grego.

A Grécia está ficando sem recursos rapidamente, e os credores do FMI e da zona do euro congelaram a ajuda financeira até que o governo de esquerda chegue a um acordo sobre uma série de reformas.

As negociações com os credores têm sido tensas e de pouco avanço. Autoridades gregas sugeriram nesta semana que o governo priorizasse o gasto com salários e aposentadorias em vez de cumprir as condições para um pagamento de cerca de 450 milhões de euros ao FMI que vence no dia 9 de abril, deixando os mercados agitados e com medo de uma moratória.

Atenas negou que esta era a postura do governo e o porta-voz do governo Gabriel Sakellaridis disse que “não havia chance de a Grécia não cumprir com as suas obrigações com o FMI”. Ele assegurou que as reformas seriam mais debatidas.

A Grécia não recebe auxílio externo desde agosto do ano passado.

Após um primeiro plano de medidas não ter impressionado os credores, o governo enviou na quarta-feira uma lista mais detalhada à Comissão Europeia, ao Banco Central Europeu e ao FMI.

Mas a lista chegou tarde demais para ser discutida pelos ministros das Finanças da zona do euro, que podem decidir se concedem ou não novos empréstimos à Grécia em uma teleconferência na tarde de quarta-feira.

Autoridades da União Europeia disseram que progressos foram feitos, mas que era preciso avançar mais para alcançar um acordo.

Atenas depositou suas esperanças em um outro encontro dos vice-ministros das Finanças da zona do euro entre 8 e 9 de abril.

(Por Renee Maltezou)