Economistas veem alta de 0,25 p.p. da Selic em junho, mas mantêm taxa a 13,25% em 2015

segunda-feira, 6 de abril de 2015 10:53 BRT
 

SÃO PAULO (Reuters) - Economistas de instituições financeiras passaram a ver mais uma alta na Selic em junho mas mantiveram a perspectiva para a taxa básica de juros no final de 2015, em um ambiente de inflação cada vez mais pressionada, dólar alto e atividade em queda.

A pesquisa Focus do Banco Central divulgada nesta segunda-feira mostrou que os economistas veem manutenção do ritmo de aperto da taxa básica de juros, atualmente em 12,75 por cento, na reunião de abril do Comitê de Política Monetária (Copom), indo a 13,25 por cento.

Mas passaram a ver nova elevação, de 0,25 ponto, na reunião de junho, com a Selic sofrendo corte em novembro para terminar o ano no patamar de 13,25 por cento.

Na semana anterior os especialistas já projetavam a alta de 0,50 ponto percentual em abril, mas viam mais uma alta de 0,25 ponto em julho, e um corte mais cedo.

Em relação a 2016, a mediana das projeções no Focus continua apontando a Selic a 11,50 por cento.

Entretanto, o Top-5 de médio prazo, com as instituições que mais acertam as projeções, vê aperto maior, com a taxa de juros encerrando a 13,75 por cento em 2015 e a 12,00 por cento em 2016, em projeções inalteradas.

As expectativas de aperto monetário ocorrem em meio a um cenário de inflação acima de 8 por cento. Os economistas consultados projetam que o IPCA encerrará 2015 a 8,20 por cento, 0,07 ponto percentual a mais do que no levantamento anterior.

Para o avanço dos preços administrados neste ano, a expectativa permaneceu em 13,00 por cento.

O Focus mostrou ainda que para o final de 2016, a projeção é de alta de 5,60 por cento do IPCA, com avanço de 5,50 por cento dos administrados, expectativas inalteradas.   Continuação...

 
Logo do Banco Central do Brasil, visto na sede, em Brasília. 15/01/2015   REUTERS/Ueslei Marcelino