Limites a caminhões por incêndio no porto de Santos afetam entregas

segunda-feira, 6 de abril de 2015 20:49 BRT
 

Por Roberto Samora

SÃO PAULO (Reuters) - Uma medida de controle de tráfego de caminhões por conta do incêndio em tanques de combustíveis da Ultracargo no porto de Santos causou congestionamentos na Rodovia Anchieta nesta segunda-feira e afetou a chegada e a saída de mercadorias na margem direita portuária, na cidade santista.

Por ora, contudo, as exportações pelo principal porto do país, que concentra a maior parte dos embarques de soja, suco de laranja, café e açúcar do Brasil, não são afetadas porque há estoques portuários para abastecer os navios, disseram autoridades e representantes do setor privado.

"Por enquanto não tem impacto nenhum. Qualquer coisa que aconteça em Santos, preocupa. Mas podemos dizer que o fogo não altera em nada as exportações previstas para abril. Os armazéns estão cheios, e os navios continuam carregando normalmente", afirmou à Reuters o diretor-geral da Associação Nacional dos Exportadores de Cereais (Anec), Sérgio Mendes, no início da manhã.

O Gabinete de Integração, que reúne a prefeitura santista e os governos estadual e federal, informou que o acesso de caminhões ao porto de Santos pela margem direita ficará bloqueado até a próxima sexta-feira. A expectativa inicial era de que o tráfego fosse liberado na terça-feira.

A Associação Brasileira das Indústrias de Óleos Vegetais (Abiove), que representa a indústria de soja, líder nas exportações brasileiras, afirmou que não houve nenhuma manifestação por parte das empresas associadas, "pois ainda há estoque no porto".

Comentário da CitrusBR, que representa os exportadores de suco de laranja, também seguiu na mesma linha.

"O máximo de dor de cabeça é no trânsito dos caminhões, mas longe de trazer algum tipo de prejuízo", disse o diretor-executivo da CitrusBR, Ibiapaba Netto.

A Petrobras (PETR4.SA: Cotações) também disse que até o momento o incêndio, que começou na quinta-feira, não afetou o mercado de gasolina e etanol, e que está atendendo normalmente às demandas de derivados.   Continuação...

 
Incêndio em tanques de combustíveis no porto de Santos.   03/04/2015   REUTERS/Nacho Doce