Índice europeu de ações atinge máxima desde julho de 2007, impulsionado por acordos corporativos

quinta-feira, 9 de abril de 2015 15:36 BRT
 

Por Francesco Canepa e Blaise Robinson

LONDRES (Reuters) - O índice europeu de ações fechou em alta nesta quinta-feira, atingindo a máxima em quase oito anos, devido à perspectiva de mais acordos corporativos, assim como dados mostrando uma forte recuperação no setor automotivo europeu.

O índice FTSEurofirst 300 das principais ações europeias fechou com alta de 1,14 por cento, aos 1.630 pontos, atingindo o nível mais alto desde julho de 2007 e levando os ganhos até agora no ano a 19 por cento.

As ações da Lafarge e da Holcim avançaram 5,7 por cento e 3,6 por cento respectivamente após escolherem o presidente-executivo da companhia combinada, permitindo que os grupos de cimento assegurem a fusão de 40 bilhões de dólares, se acionistas a apoiarem no mês que vem.

Os papéis do grupo de bens de luxo britânico Burberry avançaram 2,8 por cento após números positivos da Mulberry e conversas de consolidação no setor.

Já as ações do grupo de mídia italiano Mediaset subiram 2,2 por cento depois de o Mediobanca o indicou como alvo de oferta para a francesa Vivendi.

O rali acionário europeu tem sido amplamente alimentado pelo programa de compra de títulos do Banco Central Europeu (BCE), conhecido como "quantitative easing" (QE).

"Fusões e aquisições e QE estão direcionando o mercado no momento", disse o corretor da Tradition Mike Reuter.

As ações do setor automotivo avançaram após dados da indústria mostrarem que a recuperação do setor se ampliou para a França e a Espanha, Itália e Portugal em março.   Continuação...