BNDES incentivará emissão de títulos renda fixa vinculados ao investimento

quinta-feira, 9 de abril de 2015 19:38 BRT
 

SÃO PAULO (Reuters) - O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) anunciou nesta quinta-feira duas medidas com o objetivo de estimular a oferta de crédito privado de longo prazo no país.

O banco de fomento vinculará o volume dos financiamentos subsidiados a grandes empresas à emissão de instrumentos de renda fixa por essas companhias. Quanto maior a emissão de uma empresa, maior o direito da empresa de tomar empréstimo do BNDES corrigidos pela Taxa de Juros de Longo Prazo (TJLP), atualmente em 6 por cento ao ano.

Além disso, o BNDES poderá atuar como garantidor do juro devido ao investidor de debêntures e de fundos de investimento em direitos creditórios (FDIC) por até dois anos para novos projetos, com o objetivo de dar mais segurança aos compradores de títulos de dívida, através de uma linha específica para essa finalidade.

"É uma espécie de um seguro adicional, ela terá um custo para a empresa acessar e será mais atrativa para projetos 'greenfield', onde tem prazo longo de construção, onde possa ocorrer algum atraso. É uma facilidade adicional oferecida, não é obrigatória. É dar mais segurança ao investidor que vai comprar a debênture", disse o presidente do BNDES, Luciano Coutinho, ao anunciar as medidas.

O presidente do BNDES frisou que o banco não pode responder por quase todo o investimento de longo prazo do país.

Coutinho se reuniu nesta tarde na Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais (Anbima) com representantes da entidade e os ministros Joaquim Levy (Fazenda) e Nelson Barbosa (Planejamento).

A presidente da Anbima, Denise Pavarina, estima que o potencial de emissões é de 5 bilhões a 10 bilhões de reais nos próximos três anos para os instrumentos de renda fixa estimuladas pelo BNDES.

(Por Aluísio Alves)

 
5/12/ 2012. REUTERS/Ueslei Marcelino