ANP nega recurso da Petrobras e mantém decisão de unificar Tartaruga Verde e Mestiça

sexta-feira, 10 de abril de 2015 19:13 BRT
 

RIO DE JANEIRO (Reuters) - A Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) negou pedido de reconsideração feito pela Petrobras e manteve decisão em favor da unificação dos campos de Tartaruga Verde e Tartaruga Mestiça, na Bacia de Campos.

A negativa foi definida em reunião de diretoria na semana passada e publicada nesta sexta-feira no site da autarquia.

A partir dessa decisão, a Petrobras terá que considerar as duas áreas como uma só, o que deverá provocar maiores valores a serem pagos a título de participações governamentais, quando as áreas, consideradas promissoras, iniciarem a extração.

A ANP determinou ainda que a petroleira apresente um novo Plano de Desenvolvimento para as áreas unificadas, que levarão o nome de Tartaruga Verde, em até seis meses após a conclusão do Sistema de Produção Antecipada (SPA) de um poço no local.

Ao declarar a comercialidade das duas áreas em separado, a Petrobras estimou em janeiro de 2013 que Tartaruga Verde tenha 230 milhões de barris de petróleo equivalentes (boe) recuperáveis e Tartaruga Mestiça outros 121 milhões boe.

Não foi possível contatar um representante da Petrobras imediatamente.

DISPUTAS ENTRE ANP E PETROBRAS

O caso é semelhante com duas disputas entre Petrobras e a autarquia, que envolvem unificações em importantes áreas: Lula, na Bacia de Santos, e Parque das Baleias, na parte capixaba da Bacia de Campos.   Continuação...