GE vai vender maior parte de unidade de finanças e retornar US$90 bi a investidores

sexta-feira, 10 de abril de 2015 21:30 BRT
 

(Reuters) - A General Electric vai vender a maior parte de sua unidade de negócios financeiros e retornar aos acionistas até 90 bilhões de dólares, em um plano para se tornar um grupo industrial "mais simples" em vez de um híbrido de banco e manufatura.

A companhia revelou nesta sexta-feira um plano de reestruturação que inclui recompra de até 50 bilhões de dólares em ações, venda de cerca de 30 bilhões de dólares em ativos imobiliários ao longo dos próximos dois anos e saída de mais negócios da GE Capital. As ações do conglomerado dispararam 10,8 por cento.

A GE informou que poderá retornar aos investidores até 90 bilhões de dólares por meio de uma combinação de dividendos, recompra de 50 bilhões de dólares em ações e conclusão da separação do grupo da unidade de cartões de crédito Synchrony Financial, planejada para o final de 2015.

O programa de recompra, que será em parte financiado por 35 bilhões de dólares em recursos retornados pela GE Capital, é o segundo maior da história depois que a Apple anunciou seu plano de 90 bilhões de dólares. A GE, que tinha 10,06 bilhões de ações em circulação até 31 de janeiro, informou que espera reduzir esse volume em até 20 por cento, para 8 bilhões a 8,5 bilhões de papéis até 2018.

No total, a GE planeja se livrar de 275 bilhões de dólares em ativos da unidade financeira GE Capital. Isso inclui a separação do grupo da Synchrony, as vendas de ativos imobiliários e futuras vendas de negócios de crédito comercial e a consumidores que têm ativos de cerca de 165 bilhões de dólares.

A companhia planeja manter 90 bilhões de dólares em ativos financeiros diretamente relacionados à venda de seus produtos, que incluem turbinas de aviões, equipamentos médicos e para geração e transmissão de energia.

Blackstone Group e Wells Fargo confirmaram que estão comprando a maior parte dos ativos imobiliários da GE Capital por cerca de 23 bilhões de dólares.

A estratégia anunciada nesta sexta-feira vai reduzir dramaticamente a exposição da GE a empréstimos e outros negócios financeiros.

O presidente-executivo do conglomerado, Jeff Immelt, afirmou a investidores que a companhia vai tentar gerar 90 por cento de seu lucro a partir de operações industriais até 2018. Ele tinha previsto anteriormente que a participação cresceria para 75 por cento até 2016 ante 55 por cento em 2013.   Continuação...