Nestlé toma medidas para se manter na liderança de indústria de alimentos

quinta-feira, 16 de abril de 2015 16:34 BRT
 

LONDRES (Reuters) - A Nestlé NESN.VX afirmou a seus acionistas nesta quinta-feira que está tomando medidas para se manter na liderança da indústria global de alimentos, onde a consolidação vai criar dois novos grandes rivais.

O presidente do Conselho da Nestlé, Peter Brabeck, afirmou durante reunião anual de acionistas da companhia que a criação da Kraft Heinz e da Jacobs Douwe Egberts, bem como o "espetacular" crescimento de algumas outras companhias em mercados emergentes, vai exigir dois elementos para que a Nestlé se mantenha líder global.

"Primeiro, uma aceleração de nossa política de ajuste de portfólio de atividade e, ao mesmo tempo, melhor aproveitamento de nossa escala", disse Brabeck.

A Nestlé já deu passos em direção a ambos os objetivos. A empresa vendeu negócios de baixo desempenho e criou um novo conselho executivo para supervisionar várias atividades de suporte global.

Os comentários de Brabeck vieram três semanas depois do anúncio de que a H.J. Heinz acertou a compra da Kraft Foods KRFT.O, criando a terceira maior companhia de alimentos processados da América Latina. A nova empresa foi criada em um negócio patrocinado pela Berkshire Hathaway, do bilionário norte-americano Warren Buffett, e pela empresa de investimentos 3G Capital, do investidor suíço-brasileiro Jorge Paulo Lemann.

"3G e Buffett pulverizaram a indústria de alimentos, particularmente na América, com uma série de aquisições", disse Brabeck.

"Os sócios da 3G são conhecidos em nossa indústria por cortes de custos implacáveis e já provaram uma série de vezes que são capazes de reduzir custos operacionais em particular em entre 500 e 800 pontos base, o que tem um impacto revolucionário sobre todos os membros da indústria", afirmou o presidente da Nestlé.

Representantes da 3G Capital não se pronunciaram sobre os comentários de Brabeck.

Os sócios da 3G orquestraram a formação da Anheuser-Busch InBev (ABI.BR: Cotações) e as aquisições das redes Burguer King e Tim Hortons, além da Heinz.

(Por Martinne Geller)