Petrobras recua após cinco pregões em alta e pressiona Bovespa

quinta-feira, 16 de abril de 2015 18:20 BRT
 

Por Paula Arend Laier

SÃO PAULO (Reuters) - O principal índice da bolsa paulista fechou em queda nesta quinta-feira, afetado principalmente pelo declínio das ações da Petrobras, que romperam uma sequência de cinco dias de alta, com expectativas em relação à divulgação do resultado auditado e vendas de ativos da estatal.

O setor siderúrgico foi destaque no noticiário, particularmente CSN, que chegou a disparar mais de 9 por cento durante o pregão com a notícia sobre estudos para se desfazer de participação na rival Usiminas.

O Ibovespa fechou em queda de 0,45 por cento, a 54.674 pontos. O volume financeiro da sessão somou 7,16 bilhões de reais.

Depois de acumularem alta superior a 25 por cento em cinco sessões, as ações preferenciais da Petrobras fecharam em queda de 3 por cento e as ordinárias com recuo de 1,86 por cento, enquanto crescem as expectativas com o balanço de 2014 que será avaliado pelo Conselho de Administração no dia 22 de abril e que trará baixas contábeis relativas ao escândalo de corrupção.

Durante o pregão, o papel preferencial da estatal chegou a recuar 5 por cento após a divulgação de notícia da Agência Estado de que a petroleira não deve pagar dividendos do resultado de 2014.

O analista Auro Rozenbaum, do Bradesco BBI, disse que já discutiu o assunto com a Petrobras e que a sua conclusão é que o dividendo para as preferenciais é obrigatório. "Pode ser adiado por até dois anos, mas deve ser pago no terceiro ano, caso contrário, o acionista ganharia direito de voto", disse, em nota a clientes.

Uma fonte com conhecimento do plano de negócios da Petrobras disse à Reuters que o escândalo de corrupção que envolve a companhia e importantes fornecedores levará a um corte de cerca de 20 por cento nos investimentos nos próximos cinco anos, o que deve ser anunciado em maio.

A queda das ações da mineradora Vale, em meio à manutenção das perspectivas negativas para o minério de ferro, também pesou no Ibovespa, assim como o declínio de 4,18 por cento da Gerdau, que foi rebaixada para "neutra" pelo Bank of America Merrill Lynch.   Continuação...