Eletricidade produzida por EDP Renováveis cai 5% no 1o tri de 2015

quarta-feira, 22 de abril de 2015 09:21 BRT
 

LISBOA (Reuters) - A eletricidade produzida pela EDP Renováveis (EDPR) caiu 5 por cento no primeiro trimestre de 2015, pressionada por um menor fator de utilização e um recurso eólico acima da média no mesmo período de 2014.

Em comunicado ao regulador de mercado português, a EDPR, subsidiária para as energias limpas da EDP, afirmou que a eletricidade produzida recuou para 5.786 gigawatts hora (GWh), com quedas em todos os territórios onde opera: Europa, América do Norte e Brasil.

"O efeito positivo das adições de capacidade ao longo dos últimos 12 meses foi mitigado por um menor fator de utilização no período, dado o recurso eólico acima da média no primeiro trimestre de 2014", declarou.

A quarta eólica mundial em termos de capacidade disse que as operações na Europa geraram 51 por cento do total da produção, enquanto na América do Norte representaram 49 por cento.

Na Europa, a produção caiu 6 por cento para 2.932 GWh, com um aumento da produção de 16 por cento no restante da Europa, com um aumento da capacidade instalada e o maior recurso eólico, sendo insuficiente para compensar quedas na Península Ibérica.

"Comparada com a geração esperada para a média do primeiro trimestre, a produção em Espanha foi 4 por cento superior à média, e em Portugal 19 por cento superior, no entanto a produção decresceu 14 por cento e 13 por cento, respectivamente, devido ao excepcional recurso eólico no primeiro trimestre de 2014," disse.

Na América do Norte, a produção decresceu 4 por cento para 2.808 GWh, resultado de um menor recurso eólico, que mitigou o efeito das adições de capacidade no período.

"A EDPR alcançou um fator de utilização de 34 por cento, menor do que os 38 por cento nos primeiros três meses de 2014," disse.

No final de março de 2015, a EDPR geria uma carteira de ativos de 9 Gigawatts (GW), em 10 países, tendo adicionado 456 Megawatts (MW) de capacidade nos últimos 12 meses, 329 MW dos quais nos Estados Unidos e 127 MW na Europa.   Continuação...