Brasil pressiona resultados da GM no 1º trimestre

quinta-feira, 23 de abril de 2015 15:29 BRT
 

DETROIT (Reuters) - A General Motors divulgou lucro trimestral menor do que o esperado nesta quinta-feira, com a fraqueza na América do Sul e na Rússia prejudicando a demanda, e impostos maiores que o esperado levando as ações a uma queda de 4 por cento.

"É evidente que o ambiente na América do Sul, principalmente no Brasil, deteriorou-se em relação ao que imaginávamos", disse o vice-presidente financeiro Chuck Stevens a jornalistas.

Ele espera que a região siga "razoavelmente desafiadora" até a primeira metade do ano, mas disse que a GM está mirando lucros no segundo semestre similares aos do mesmo período de 2014.

Stevens disse que a montadora líder nos EUA cortou empregos e irá reduzir turnos de produção em fábricas no Brasil. Ele disse que isso vai gerar uma economia anual de cerca de 200 milhões de dólares. A GM teve prejuízo de 214 milhões no América do Sul no primeiro trimestre.

Stevens afirmou que o cenário global para 2015 segue de aumento do lucro e que está no caminho para atingir em 2016 as margens de lucro de 10 por cento na América do Norte e voltar à rentabilidade na Europa.

O lucro líquido do primeiro trimestre subiu a 945 milhões de dólares, ou 56 centavos por ação, ante 125 milhões, 6 centavos por ação, um ano antes. O resultado do ano passado incluiu despesas relacionadas a recall.

Excluindo itens extraordinários ligados ao fechamento de produção na Rússia e a um recall relacionado a ignição com defeito, a GM lucrou 86 centavos por ação. Analistas estimavam 97 centavos, pela pesquisa da Thomson Reuters I/B/E/S.

A receita caiu 4,5 por cento, a 35,7 bilhões dólares, abaixo dos 37,6 bilhões que os analistas esperavam. As vendas foram afetados por menor volume no Brasil e na Rússia, bem como o impacto da fraqueza das moedas da região ante o dólar. A GM disse em março que vai fechar uma fábrica na Rússia e esvaziar sua marca Opel no país devido à queda da demanda.

A fraqueza da América Latina foi responsável por cerca de 6 centavos da queda no lucro, enquanto outros 4 a 5 centavos deveu-se a impostos maiores que o esperado, disse a GM.   Continuação...

 
30/08/2012. REUTERS/Shamil Zhumatov