Bovespa sobe 2% fecha na máxima em cinco meses após balanço da Petrobras

quinta-feira, 23 de abril de 2015 18:16 BRT
 

Por Paula Arend Laier

SÃO PAULO (Reuters) - A Bovespa fechou com o seu principal índice no maior patamar em cinco meses nesta quinta-feira, em sessão marcada pela repercussão do resultado financeiro auditado de 2014 da Petrobras, divulgado na noite da véspera com meses de atraso.

O Ibovespa subiu 1,95 por cento, a 55.684 pontos, máxima desde 21 de novembro de 2014. O volume financeiro somou 9,4 bilhões de reais.

A Petrobras teve prejuízo de 21,6 bilhões de reais em 2014. Analistas destacaram negativamente dados sobre endividamento e perspectivas para o fluxo de caixa do balanço, bem como o anúncio de não pagamento de dividendos, embora tenham avaliado que a divulgação do resultado trazia "alívio".

Em teleconferência com analistas, a estatal disse que irá priorizar redução do endividamento no novo plano de investimento da empresa, a ser divulgado nos próximos 30 dias.

O diretor financeiro da companhia, Ivan Monteiro, disse à Reuters que a Petrobras está estudando opções de desinvestimento da sua subsidiária BR Distribuidora.

As ações da estatal abriram em forte queda, mas o movimento perdeu força, com as ordinárias revertendo e fechando em alta de 5,63 por cento, a 14,06 reais, maior valor desde 4 de novembro de 2014. As preferenciais terminaram em baixa de apenas 1,52 por cento. No pior momento do dia, as preferenciais caíram mais de 9 por cento e as ordinárias, mais de 6 por cento.

A diferença no comportamento entre as duas classes de ações foi atribuída a ordens de "stop loss" em operações em que investidores estavam comprados nas preferenciais e vendidos nas ordinárias, na expectativa de que os detentores de preferenciais recebessem o pagamento do dividendo mínimo, mesmo em caso de prejuízo da estatal.

"Apesar dos grandes desafios, a divulgação do balanço tirou um grande peso das costas da Petrobras e do próprio país, o que ajuda nos ativos de modo geral", disse o gestor Joaquim Kokudai, sócio na sócio na JPP Capital Gestão de Recursos.   Continuação...