Premiê espanhol demonstra otimismo com economia em ano de eleição acirrada

segunda-feira, 27 de abril de 2015 09:47 BRT
 

Por Julien Toyer e Robert Hetz

MADRI (Reuters) - O primeiro-ministro espanhol, Mariano Rajoy, disse nesta segunda-feira que a economia vai crescer 2,9 por cento este ano e no mesmo ritmo no próximo, levando à criação de 500.000 postos de trabalho, mas as pesquisas de opinião mostram que o governista Partido Popular (PP) vem perdendo apoio dos eleitores, que querem uma mudança de governo.

Rajoy está apostando na aceleração da recuperação econômica para conquistar um segundo mandato este ano, em uma eleição vista como a mais incerta em mais de 30 anos, já que o surgimento de novos partidos sacode a ordem política da Espanha.

O governo de centro-direita irá enviar no final de semana à União Europeia o seu plano econômico de três anos e, na quinta-feira, o Instituto Nacional de Estatística apresentará relatório com dados preliminares do crescimento no primeiro trimestre.

"A economia espanhola vai crescer 2,9 por cento em 2015, e em torno da mesma taxa no próximo ano", disse Rajoy a uma plateia de empresários e jornalistas em um evento em Madri.

A previsão feita em setembro era de expansão de 2 por cento de crescimento, revista para 2,4 por cento em fevereiro. 

Os baixos preços do petróleo, a expansão monetária do Banco Central europeu e uma gradual elevação nas despesas de consumo doméstico estão entre os principais fatores da recuperação.

No entanto, com cerca de um em cada quatro pessoas na Espanha sem emprego, os salários ainda pressionados para baixo e as desigualdades subindo mais do que em qualquer outro lugar na Europa Ocidental, o PP, de Rajoy, está encontrando dificuldade para convencer os eleitores.

Uma pesquisa de opinião da empresa MyWord para a rádio Cadena Ser mostrou que o PP venceria por uma margem estreita se a eleição parlamentar fosse realizada hoje, mas teria apenas 22 por cento dos votos, seu pior resultado nas pesquisas em quatro meses, enquanto outros partidos conquistaram eleitores.   Continuação...

 
Primeiro-ministro espanhol, Mariano Rajoy, durante encontro em Madri.   15/04/2015   REUTERS/Susana Vera