Gol tem queda na receita por passageiro no 1º tri, mas dados de tráfego fortes

segunda-feira, 27 de abril de 2015 15:45 BRT
 

SÃO PAULO (Reuters) - A companhia aérea Gol informou nesta segunda-feira que seu yield, indicador que mede os preços de passagens, recuou 8 por cento no primeiro trimestre na base de comparação anual, contribuindo para que a receita por passageiro líquida, Prask, caísse 5,7 por cento no mesmo período.

As ações da companhia, no entanto, subiam nesta segunda-feira, com analistas destacando os dados de tráfego positivos no consolidado do primeiro trimestre e o preço menor do combustível de aviação em reais.

A ação da companhia avançava 2,19 por cento na Bovespa às 15h40, diante de queda de 1,67 por cento do principal índice da bolsa no mesmo instante.

A Gol já havia alertado para uma continuidade na tendência de queda do yield no primeiro trimestre, após o ritmo mais fraco da economia ter contribuído para uma baixa anual de quase 9 por cento do indicador durante o quarto trimestre.

O setor aéreo brasileiro tem destacado a menor demanda de clientes corporativos, que pagam preços mais altos de passagens. A queda do yield da Gol no primeiro trimestre também ocorre em um momento marcado por iniciativas promocionais das companhias aéreas diante do enfraquecimento da demanda após o fim da alta temporada no início do ano.

Os dados de tráfego da Gol mostraram que, apenas em março, a demanda total da companhia recuou 0,4 por cento e a oferta caiu 0,3 por cento. Com isso, a taxa de ocupação ficou em 73,6 por cento, baixa de 0,1 ponto percentual contra o mesmo mês de 2014.

A tendência foi verificada nos voos domésticos, segmento no qual a demanda caiu 1,8 por cento e a oferta teve recuo de 1,6 por cento, enquanto nos voos internacionais foi registrado crescimento em ambos os indicadores.

No consolidado do primeiro trimestre, houve alta de 6,6 por cento na demanda do sistema total da companhia, enquanto a oferta avançou 4 por cento. A taxa de ocupação ficou em 78,1 por cento, avanço de 2 pontos percentuais sobre igual período do ano anterior.

Oferta e demanda subiram tanto no mercado doméstico quanto no internacional no primeiro trimestre. A demanda por voos internacionais, destacadamente, subiu 20,7 por cento e a oferta avançou 18,7 por cento.   Continuação...