Petrobras quer atuar como assistente do MPF em ações da Lava Jato

segunda-feira, 27 de abril de 2015 19:40 BRT
 

SÃO PAULO (Reuters) - A Petrobras anunciou nesta segunda-feira que pediu o ingresso da companhia como assistente do Ministério Público Federal (MPF) em sete ações penais ligadas à operação Lava Jato, que investiga um bilionário esquema de corrupção na estatal.

"Com essa medida, a Petrobras, que vem colaborando com as autoridades públicas, pretende atuar de forma mais incisiva na busca da reparação do seu prejuízo, visto que a sentença penal condenatória poderá garantir à Petrobras o pagamento de indenização pelos prejuízos oriundos dos delitos", informou a empresa em comunicado, que acrescenta que o pedido foi feito na última sexta-feira.

Na semana passada, a Petrobras divulgou seu balanço auditado referente ao ano passado, quando registrou prejuízo de 21,6 bilhões de reais. A estatal informou ainda perdas de 6,2 bilhões de reais por corrupção e redução de mais de 44 bilhões de reais no valor de seus ativos.

A Lava Jato investiga um esquema de corrupção no qual, segundo o Ministério Público, empreiteiras formavam um cartel para vencer com sobrepreço licitações de obras da Petrobras. Em troca, pagavam propina a funcionários da empresa, a operadores que lavavam o dinheiro do esquema e a políticos e partidos.

(Por Eduardo Simões)