Desemprego sobe a 6,2% em março e renda tem maior queda mensal em mais de 12 anos

terça-feira, 28 de abril de 2015 12:34 BRT
 

Por Rodrigo Viga Gaier e Camila Moreira

RIO DE JANEIRO/SÃO PAULO (Reuters) - O desemprego brasileiro subiu pelo terceiro mês consecutivo e chegou a 6,2 por cento em março, maior nível em três anos, com a queda mensal da renda mais forte em pouco mais de 12 anos diante do recorrente crescimento da procura por trabalho e demissões.

O resultado da Pesquisa Mensal de Emprego (PME) divulgado nesta terça-feira pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) ficou em linha com a expectativa em pesquisa da Reuters, de 6,15 por cento.

A taxa de desemprego do mês passado iguala a que foi registrada em março de 2012, e mostra maior esgotamento do mercado de trabalho após alcançar 5,9 por cento em fevereiro e 5,3 por cento em janeiro. Em março do ano passado, a taxa havia sido de 5,0 por cento.

O IBGE informou também que a renda média real caiu a 2.134,60 reais em março, perda de 2,8 por cento ante fevereiro, maior desde janeiro de 2003 (-4,3 por cento). Em relação a um ano antes, a queda foi de 3,0 por cento, a maior desde fevereiro de 2004 (-4,8 por cento).

"Tem efeito da inflação e da conjuntura econômica. A renda pode ser um fator importante para fazer as pessoas buscarem mais trabalho. Quem não buscava trabalho decide voltar a trabalhar", destacou a gerente do IBGE Maria Lucia Vieira.

O cenário de maior procura por trabalho e menor criação de vagas ou demissões vem se repetindo desde o início do ano, em consonância com a deterioração da economia do país, refletindo as perspectivas de contração da atividade, em meio ao aperto monetário, esforços de ajuste fiscal e inflação alta.

Em março, segundo a PME, a população desocupada, que são as pessoas sem trabalhar mas à procura de uma oportunidade, subiu 5,3 por cento na comparação mensal e avançou 23,1 por cento sobre o ano anterior, chegando a 1,494 milhão de pessoas.

  Continuação...

 
Homem olhando lista de empregos no centro de São Paulo.   19/03/2015  REUTERS/Paulo Whitaker