Fraqueza no Brasil pressiona lucro operacional da Fiat Chrysler no 1o tri

quarta-feira, 29 de abril de 2015 12:04 BRT
 

MILÃO (Reuters) - A Fiat Chrysler divulgou nesta quarta-feira um crescimento no lucro operacional levemente abaixo do esperado, com o forte desempenho na América do Norte sendo ofuscado por condições ainda fracas na América Latina, principalmente no Brasil.

As ações da FCA listadas em Milão, que acumulam alta de quase 55 por cento neste ano, operavam com volatilidade, avançando um pouco após os resultados, uma vez que investidores receberam bem notícias de que a montadora confirmou suas projeções para 2015, segundo operadores.

"Pode ser apenas um pequeno sinal de alívio", disse o analista da Evercore ISI George Galliers. "Da nossa perspectiva... o uso de caixa foi definitivamente mais agressivo do que se haviam antecipado".

A sétima maior montadora do mundo, que transferiu sua listagem primária para Nova York em outubro e vai alienar a unidade de luxo Ferrari ainda neste ano, teve lucro ajustado antes de juros e impostos de 800 milhões de euros, ante 655 milhões de euros um ano antes. A previsão média de analistas era de 813 milhões de euros, pela Thomson Reuters SmartEstimate.

A receita cresceu 19 por cento, a 26,4 bilhões de euros. A dívida industrial líquida ficou em 8,6 bilhões de euros no fim de março, ante 7,65 bilhões de euros ao final de 2014.

O negócio latino-americano da montadora, no entanto, encerrou o trimestre com perdas operacionais. A região era responsável por quase um terço do lucro total da FCA há quase três anos, ajudando a compensar uma fraqueza prolongada na Europa. Mas essa contribuição caiu para apenas 5 por cento no ano passado.

No Brasil, onde a FCA é líder de mercado e onde abriu uma nova fábrica nesta semana, as vendas da indústria automotiva devem registrar queda de 13 por cento para este ano com a economia em estagnação, inflação acelerando e a confiança de consumidores em queda, o que prejudica o setor. [nL2N0X411F]

As operações europeias da FCA passaram a registrar um lucro operacional nos primeiros três meses do ano, auxiliadas por uma demanda saudável pelos modelos Jeep Renegade e Fiat 500X, que entraram em produção numa fábrica na Itália no ano passado.

O lucro cresceu 60 por cento na América do Norte, impulsionado por volumes e preços maiores. A região tem se tornado gradualmente o principal motor de lucro da Fiat desde que a companhia assumiu a administração da Chrysler em 2009, quando estava quase falida. A Fiat concluiu a aquisição no ano passado.

(Por Agnieszka Flak)