BNDES aprova R$2,3 bi para siderúrgica da Vale e coreanas no Ceará

quinta-feira, 30 de abril de 2015 12:02 BRT
 

SÃO PAULO (Reuters) - O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) informou nesta quinta-feira que sua diretoria aprovou crédito de 2,3 bilhões de reais para a Companhia Siderúrgica do Pecém (CSP), uma joint venture da mineradora Vale e das siderúrgicas sul-coreanas Dongkuk e Posco.

Os recursos serão destinados à construção da usina em São Gonçalo do Amarante (CE), com capacidade de produção de até 3 milhões de toneladas por ano de placas de aço. O início das atividades é previsto para o primeiro semestre de 2016.

A Vale tem 50 por cento do projeto, e as sul-coreanas Dongkuk e Posco, 30 e 20 por cento de participações, respectivamente.

O investimento total na CSP é estimado em cerca de 12,7 bilhões de reais, segundo nota do BNDES.

"O projeto utilizará a sinergia entre os sócios em seus segmentos de negócios", destacou o banco.

"Toda a produção da nova siderúrgica, a princípio, será destinada à exportação", acrescentou.

A usina está inserida no Complexo Industrial e Portuário do Pecém, a oito quilômetros do Porto do Pecém, interligado por um sistema de correias transportadoras que também atende a outros empreendimentos do complexo.

O governo do Ceará está expandindo o Porto do Pecém, onde serão recebidos o minério de ferro da Vale e o carvão metalúrgico importado e por onde as placas de aço serão exportadas.

A CSP será a primeira empresa a operar no país em regime de ZPE (Zona de Processamento de Exportação), caracterizado por áreas de livre comércio com o exterior, destinadas à instalação de empresas com produção voltada predominantemente para a exportação e com tratamento tributário e cambial específico, que inclui suspensão e posterior isenção de impostos federais, disse a instituição de fomento.   Continuação...