Brasil se prepara para questionar subsídios agrícolas dos EUA antes de visita de Dilma a Washington

quinta-feira, 30 de abril de 2015 19:51 BRT
 

Por Alonso Soto

BRASÍLIA (Reuters) - Depois de finalmente virar a página em relação aos casos de espionagem que prejudicaram as tentativas de estreitar os laços comerciais, Brasil e Estados Unidos podem estar rumando para mais um desentendimento, dessa vez por causa dos subsídios dos EUA à agricultura.

O governo brasileiro está reunindo evidências para mostrar que os Estados Unidos estão aumentando os subsídios destinados a produtores de soja e milho, o que ameaça levar a uma redução ainda maior dos preços de produtos que são cruciais para o Brasil, afetando ainda mais uma economia já em dificuldades, disseram quatro autoridades brasileiras à Reuters.

Embora seja muito cedo para se engajar em uma ampla disputa comercial, o Brasil planeja pressionar Washington ao questionar os programas agrícolas norte-americanos na comissão de agricultura da Organização Mundial do Comércio, segundo as autoridades.

As preocupações do Brasil em relação aos subsídios dos EUA se intensificam no momento em que a presidente Dilma Rousseff prepara sua visita a Washington, a ser realizada em junho. Um dos principais objetivos da viagem é impulsionar as trocas comerciais entre as duas maiores economias das Américas.

Foram necessárias intensas negociações por mais de um ano para Dilma remarcar a visita, que estava prevista para ocorrer originalmente em 2013, mas acabou adiada após ser revelado que Washington havia espionado as comunicações da presidente.

Embora Dilma não pretenda mencionar os subsídios agrícolas diretamente ao presidente dos EUA, Barack Obama, seus assessores planejam levantar a questão em reuniões com representantes norte-americanos antes da visita, disse uma das autoridades brasileiras, que falaram sob condição de anonimato.

“Temos certeza que os subsídios dos EUA vão aumentar, mas precisamos reunir provas durante a próxima safra para montar nosso caso”, disse uma outra autoridade envolvida na elaboração de políticas comerciais. “Não descartamos uma disputa comercial, mas estamos nos primeiros estágios."

O governo dos EUA afirma que seus programas destinados à agricultura são transparentes e justos, e não distorcem os mercados de commodities.   Continuação...