Venda de ações da Usiminas em poder da CSN "vai demorar", diz Steinbruch

terça-feira, 5 de maio de 2015 15:59 BRT
 

Por Aluísio Alves

SÃO PAULO (Reuters) - A CSN não está com pressa para se desfazer de ações de sua concorrente Usiminas, disse o presidente-executivo da CSN, Benjamin Steinbruch.

"Estamos aguardando o melhor momento, mas posso dizer que vai demorar", disse Steinbruch à Reuters nesta terça-feira durante evento com empresários promovido pela revista Exame.

O Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) decidiu em abril do ano passado que a CSN tem que reduzir sua participação acionária na rival Usiminas, adquirida em 2011, mas não informou o prazo. E no final de março deste ano, o Cade rejeitou pedido da CSN para ter representante no Conselho de Administração da Usiminas.

A CSN comprou ações da Usiminas em várias operações no mercado durante processo de alteração no grupo de controle da rival, concluído com a entrada da ítalo-argentina Techint e saída dos grupos Votorantim e Camargo Corrêa.

Segundo Steinbruch, a venda de participação na Usiminas pode acontecer por venda direta a investidor estratégico ou de forma pulverizada na bolsa. "Pode ser qualquer das duas alternativas", disse.

Até o final de 2014, a participação da CSN na Usiminas era de 14,13 por cento das ações ordinárias e 20,69 por cento das preferenciais.

CENÁRIO   Continuação...