Gerdau tem queda de 39% no lucro do 1o trimestre

quarta-feira, 6 de maio de 2015 09:39 BRT
 

SÃO PAULO (Reuters) - O grupo produtor de aço Gerdau teve queda de 39 por cento no lucro líquido do primeiro trimestre ante o mesmo período do ano passado, em um desempenho pressionado por forte aumento no resultado financeiro negativo e performance operacional mais fraca.

A companhia teve lucro líquido de 267 milhões de reais no primeiro trimestre ante resultado positivo um ano antes de 440 milhões. A geração de caixa medida pelo lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda) totalizou 1,089 bilhão de reais, recuo de 8,9 por cento na mesma base de comparação.

Analistas, em média, estimavam Ebitda de 1,129 bilhão de reais para a Gerdau no primeiro trimestre.

A Gerdau teve um resultado financeiro negativo em 898 milhões de reais ante dado também negativo no mesmo período de 2014 de 101 milhões de reais. O desempenho foi pressionado pela variação cambial, com a desvalorização do real ante o dólar impactando a dívida em moeda estrangeira da empresa.

Assim como a CSN, que divulgou pouco antes seu resultado de primeiro trimestre [L1N0XX0VT], a Gerdau viu aumento na alavancagem no período. A relação dívida líquida sobre Ebitda terminou o primeiro trimestre em 3,2 vezes ante 2,5 vezes nos três primeiros meses de 2014.

Em produção, a Gerdau teve queda de 4,7 por cento no volume de aço bruto produzido pelo grupo, a 4,341 milhões de toneladas, com as vendas recuando 5,6 por cento, a 4,143 milhões de toneladas.

O destaque negativo ficou por conta da queda de 10,6 por cento na receita líquida das operações da empresa no Brasil e de 60,4 por cento no faturamento com minério de ferro. Enquanto isso, na América do Norte, houve alta de 12 por cento na receita líquida, e na América Latina crescimento de cerca de 8 por cento sobre um ano antes.

Com o desempenho, a margem Ebitda da operação Brasil da Gerdau caiu de 20 por cento no primeiro trimestre de 2014 para 15,8 por cento ao final dos três primeiros meses deste ano. Na América do Norte a margem subiu de 2,1 para 6,2 por cento e na operação de minério de ferro houve queda de 38,3 para 4,8 por cento.

A empresa manteve projeção de investimento de 1,9 bilhão de reais em suas operações neste ano.

(Por Alberto Alerigi Jr.)