Produção industrial recua 0,8% em março e fecha 1º tri com queda de 5,9%

quarta-feira, 6 de maio de 2015 10:37 BRT
 

Por Rodrigo Viga Gaier e Camila Moreira

RIO DE JANEIRO (Reuters) - A produção da indústria brasileira recuou 0,8 por cento em março sobre o mês anterior, com deterioração das condições do setor pelo segundo mês seguido e encerrando o primeiro trimestre com queda acumulada no ano de 5,9 por cento, demonstrando a fraqueza da indústria que deve permanecer ao longo deste ano.

Na comparação com março de 2014, a produção teve queda de 3,5 por cento, 13ª leitura negativa nesse tipo de comparação, de acordo com os dados divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia a Estatística (IBGE) nesta quarta-feira.

Os resultados de março foram piores que as expectativas em pesquisa da Reuters, de queda de 0,7 por cento na base mensal e de recuo de 3,0 por cento na comparação anual.

E em mais um sintoma da situação claudicante do setor no início do ano, o IBGE ainda revisou a produção de fevereiro sobre janeiro para uma queda de 1,3 por cento, ante recuo de 0,9 por cento divulgada anteriormente.

A produção teve perfil negativo generalizado na comparação com o mês anterior. A categoria com desempenho mais fraco foi a de Bens de Capital, uma medida de investimento, cuja produção recuou 4,4 por cento sobre fevereiro, chegando a uma queda de 12,4 por cento na comparação anual.

Dos 24 ramos pesquisados, 14 tiveram queda de produção em março sobre o mês anterior, sendo a principal influência negativa veículos automotores, reboques e carrocerias. Esse ramo recuou 4,2 por cento, sexto mês seguido de queda, acumulando nesse período perda de 19,4 por cento.

(Reportagem adicional de Pedro Fonseca no Rio de Janeiro)

 
Funcionários em linha de produção de uma marca chinesa, em Manaus.  24/06/2014   REUTERS/Jianan Yu