China estima safra de milho 15/16 em recorde; importações devem cair

quinta-feira, 7 de maio de 2015 10:26 BRT
 

PEQUIM (Reuters) - A China deverá produzir um recorde de 232 milhões de toneladas de milho em 2015/16, aumento de 7,6 por cento no ano, com agricultores expandindo área cultivada devido ao alto preço decorrente da política de estoques de Pequim, de acordo com uma previsão divulgada por um órgão do governo nesta quinta-feira.

A grande safra estimada no segundo maior consumidor de milho do mudo pode colocar ainda mais pressão sobre Pequim para reduzir seus estoques do cereal, limitando importações, disse que o Centro Nacional de Grãos e Oleaginosas da China (CNGOIC, na sigla em inglês).

As importações de milho da China em 2015/16 (outubro/setembro) deverão cair 50 por cento, para 2 milhões de toneladas, de acordo com a previsão do CNGOIC.

Pequim armazenou mais de 83 milhões de toneladas de milho sob o sistema na safra 2014/15, um regime que terminou no mês passado.

Os estoques totais de milho do governo estão agora em mais de 150 milhões de toneladas, ou cerca de 84 por cento do consumo interno no ano, estimado pelo centro em 179 milhões de toneladas.

Pequim tem aumentado as vendas de reservas do Estado, oferecendo 3,4 milhões de toneladas de milho esta semana. Para apoiar o consumo, o governo também concordou em subsidiar processadores de milho.

(Reportagem de Niu Shuping e Chen Aizhu)