Anima mira gestão do caixa em 2015 com incertezas relacionadas ao Fies

quinta-feira, 7 de maio de 2015 15:53 BRT
 

RIO DE JANEIRO (Reuters) - A Anima Educação reconhece que a gestão de caixa será um dos principais desafios neste ano, em um cenário de contenção dos gastos com o Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) pelo governo federal.

"Estamos nos preparando para novos desafios do segundo semestre e pelo o que a gente tem escutado, lamentavelmente, sem o Fies", disse o diretor de novos negócios da companhia, Marcelo Bruno, em teleconferência com analistas nesta quinta-feira.

Na semana passada, o ministro da Educação, Renato Janine Ribeiro, informou que o Fies esgotou seus recursos para 2015, de 2,5 bilhões de reais, após a oferta de 252.422 novos contratos. [nL1N0XV22M}

Além disso da falta de recursos, no ano passado o governo federal colocou novas regras e prazos para a concessão do Fies, como a imposição de nota mínima de 450 pontos no Enem.

O MEC também ampliou o prazo para o repasse dos recursos do Fies de 30 para 45 dias para as empresas com mais de 20 mil alunos beneficiados pelo financiamento.

Segundo o diretor financeiro da Anima, Gabriel Ribeiro, a companhia está "praticamente desde dezembro sem receber (do governo federal) recursos relacionados ao Fies".

"Isso praticamente consumiu boa parte do caixa gerado no primeiro trimestre, o que impõe uma nova disciplina, um maior rigor nas nossas decisões de alocação de capital", afirmou.

De janeiro a março, o consumo de caixa da empresa foi de 2,6 milhões de reais, de acordo os resultado trimestral divulgado nesta quinta-feira.

Além dos desafios específicos do setor, a Anima, que possui 17 campi, entre eles a faculdade São Judas, em São Paulo, também está atenta ao impacto do cenário macroeconômcio para seus negócios.   Continuação...