Marfrig amplia prejuízo no 1º tri para R$570,9 mi por câmbio, mas eleva receita

sexta-feira, 8 de maio de 2015 08:38 BRT
 

SÃO PAULO (Reuters) - A empresa de alimentos Marfrig teve prejuízo líquido de 570,9 milhões de reais no primeiro trimestre, afetada pelo efeito da variação cambial em seu resultado financeiro, embora o câmbio tenha ajudado a impulsionar as receitas da companhia, informou nesta sexta-feira.

No mesmo período do ano passado, a empresa havia registrado resultado negativo de 96,4 milhões de reais.

O resultado financeiro líquido da companhia somou 1,047 bilhão de reais negativos, com o efeito do câmbio na dívida bruta e ativos e passivos em dólar resultando em perda de 506 milhões de reais.

Do lado operacional, o Ebitda (sigla em inglês para lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) da Marfrig somou 438,5 milhões de reais, avanço de 11,66 por cento na mesma base de comparação.

O Ebitda ajustado totalizou 461,2 milhões de reais, com margem de 7,8 por cento, ante 8,4 um ano antes, refletindo "o início de ano desafiador para as operações da Marfrig Beef Brasil", disse a empresa.

A companhia disse que o primeiro trimestre foi desafiador para a unidade de negócios bovinos, principalmente no Brasil, com o mercado interno demonstrando desaceleração, enquanto questões na Rússia e na Venezuela promoveram o fraco desempenho das exportações a partir do Brasil.

A receita consolidada avançou 23 por cento, para 5,88 bilhões de reais, com todas as unidades de negócio apresentando crescimento de dois dígitos, com destaque para a Keystone. O desempenho consolidado foi favorecido pelo efeito da desvalorização do real, já que cerca de 83 por cento da receita total da empresa é em outras moedas.

A dívida líquida da Marfrig encerrou o primeiro trimestre em 10,7 bilhões de reais, ante 8,4 bilhões de reais em dezembro.

Para o restante do ano, a Marfrig disse ver oportunidades de aumento de demanda externa, sendo que a partir do final de março parte do volume represado em janeiro e fevereiro voltaram a ser exportados para Rússia e alguns países do Oriente Médio.   Continuação...