Marfrig crê na abertura dos EUA à carne bovina in natura do Brasil em junho

sexta-feira, 8 de maio de 2015 12:17 BRT
 

SÃO PAULO (Reuters) - A empresa de alimentos Marfrig acredita que a abertura do mercado dos Estados Unidos à carne bovina in natura do Brasil pode ser acordada ao final de junho deste ano, durante encontro de presidentes dos países, disse nesta sexta-feira o presidente-executivo da companhia.

"O anúncio da ratificação (do acordo) deve acontecer quando os dois presidentes decidirem colocar na agenda, e acreditamos que isso acontecerá no próximo encontro", afirmou Martin Secco, em entrevista a jornalistas para comentar os resultados trimestrais.

Uma visita da presidente Dilma Rousseff aos Estados Unidos foi marcada para o dia 30 de junho.

Segundo Secco, a avaliação técnica e questões sanitárias para a abertura do mercado estão concluídas.

Esse processo de abertura das exportações aos EUA se arrasta há anos, com empresas brasileiras almejando o acesso ao mercado norte-americano até como forma de conquistar outros mercados mais exigentes, como o japonês ou o coreano.

Representantes do governo brasileiro e de outras indústrias também estão confiantes em um acordo neste ano.

Secco afirmou que a Marfrig já tem um parque industrial habilitado para exportar carne industrializada aos EUA, e que essa habilitação poderia favorecer a companhia em negócios de carne in natura.

Ele disse que as perspectivas para reabertura das vendas de carnes para a China também deverão ocorrer após encontro de autoridades brasileiras e chinesas, neste mês.

Independentemente dos negócios com China e EUA, os executivos da Marfrig disseram estar confiantes com o desempenho das exportações brasileiras em 2015, projetadas pela associação da indústria para atingirem um recorde em receita.   Continuação...