Importação de soja pela China cai quase 20% em abril após protestos no Brasil

sexta-feira, 8 de maio de 2015 14:08 BRT
 

PEQUIM (Reuters) - A China importou 5,31 milhões de toneladas de soja em abril, uma queda de 18,3 por cento ante o mesmo mês de 2014, depois de um protesto de caminhoneiros entre o final de fevereiro e o início de março no Brasil, o maior exportador mundial, o que atrasou os envios ao país asiático.

"A greve reduziu o estoque de farelo de soja no mercado interno, com os processadores operando a uma baixa capacidade", disse Li Lifeng, analista da indústria.

As processadoras chinesas estão aumentando gradualmente a produção neste mês, após grandes recebimentos de soja da América do Sul, disse Li.

As importações mensais de soja de maio a julho deverão a subir acentuadamente, para entre 6,5 milhões e 7,5 milhões de toneladas, disse um operador sênior.

O país é maior importador de soja do mundo, respondendo por mais de 60 por cento do volume negociado no mundo.

As expectativas de grandes importações têm pressionado os preços do farelo de soja e do óleo de soja no país.

As importações chinesas nos primeiros quatro meses do ano recuaram 4,1 por cento, para 20,94 milhões de toneladas, de acordo com dados divulgados pela Administração Geral das Alfândegas.

(Niu Shuping e por Dominique Patton)