8 de Maio de 2015 / às 21:24 / em 2 anos

Apesar de queda de Vale e Petrobras, Bovespa sobe e acumula alta de 1,6% na semana

SÃO PAULO (Reuters) - A Bovespa fechou em leve alta nesta sexta-feira, suficiente para garantir um desempenho positivo na primeira semana de maio, com o quadro externo ajudando a compensar a pressão negativa dos papéis da Vale e da Petrobras.

A sessão também foi marcada por uma agenda repleta de balanços corporativos para investidores avaliarem.

O Ibovespa encerrou com alta 0,40 por cento, a 57.149 pontos, após oscilar entre a mínima de 56.595 pontos e a máxima de 57.620 pontos. O volume financeiro somou 7,1 bilhões de reais. Na semana, o principal índice da bolsa paulista contabilizou uma alta de 1,64 por cento.

“Foi uma sessão tranquila”, disse o trader Thiago Montenegro, da Quantitas Asset Management, citando realização de lucros “bem técnica” em Petrobras e Vale, enquanto as bolsas no exterior tiveram movimento positivo com dados de emprego dos Estados Unidos e vitória dos conservadores no Reino Unido.

Ao mesmo tempo, também destacou que a agenda de balanços trouxe mais volatilidade a alguns ativos específicos.

DESTAQUES

=VALE engatou o terceiro pregão consecutivo de perdas e respondeu pela principal pressão negativa do dia, com os dados chineses fracos como pano de fundo, apesar de o minério de ferro fechar a quarta semana em cinco com ganhos. Na semana, contudo, as ordinárias subiram 0,44 por cento e as preferenciais, 1,98 por cento.

=PETROBRAS também pesou, com queda de cerca de 1 por cento, em meio a realizações de lucros. O fato de a gasolina ter voltado a ficar mais barata no Brasil do que no exterior, também favoreceu o movimento.

=GRUPO PÃO DE AÇÚCAR foi outro peso negativo, com recuo de 3,39 por cento, após divulgar queda de 21,3 por cento no lucro atribuído a acionistas controladores, para 192 milhões de reais no primeiro trimestre.

=CIA HERING despencou mais de 20 por cento, após divulgar balanço na véspera com queda de 35,7 por cento no lucro, para 41,5 milhões de reais no primeiro trimestre, abaixo das estimativas compiladas pela Reuters, e prever um cenário ainda difícil à frente.

=ESTÁCIO PARTICIPAÇÕES fechou em queda de 1,32 por cento, após sessão volátil, marcada pela divulgação do balanço, que mostrou lucro de 130,6 milhões de reais no primeiro trimestre. Em teleconferência, disse que espera mensalidades mais perto da inflação no segundo trimestre.

=KROTON, por sua vez, subiu 3,16 por cento, entre as principais influências positivas. Em nota a clientes, o BTG Pactual disse que prefere Kroton à Estácio, apesar dos bons resultados da última no primeiro trimestre.

=BRASKEM saltou 9,12 por cento, com profissionais do mercado atribuindo os ganhos a uma mensagem mais positiva passada pela empresa em teleconferência com analistas nesta sexta-feira. O JPMorgan destacou em nota a clientes que o papel tem estado bem volátil recentemente.

=CETIP avançou 1,71 por cento, após divulgar lucro líquido de 120,8 milhões de reais no primeiro trimestre, alta de cerca de 20 por cento ante igual etapa de 2014.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below