Decreto presidencial inclui Celg-D em programa de desestatização

quinta-feira, 14 de maio de 2015 07:49 BRT
 

SÃO PAULO (Reuters) - A presidente Dilma Rousseff incluiu por meio de decreto publicado nesta quinta-feira a distribuidora de energia goiana Celg-D no Programa Nacional de Desestatização, segundo publicação no Diário Oficial da União.

O decreto entra em vigor nesta quinta. A Eletrobras concluiu a compra do controle da Celg-D no final de janeiro deste ano, pagando 59,45 milhões de reais para ficar com 76.761.267 ações ordinárias da empresa, o equivalente a 50,93 por cento do capital.

A área de concessão da Celg-D abrange 237 municípios de Goiás.

O aval da presidente ocorre após o Conselho Nacional de Desestatização ter recomendado a inclusão da distribuidora no programa na semana passada.

A Eletrobras havia informado anteriormente que depositaria em até cinco dias após a publicação do decreto presidencial as suas ações da Celg-D no Fundo Nacional de Desestatização, com vistas à venda do controle da companhia.

De acordo com o texto do decreto, o Ministério de Minas e Energia fica responsável pela execução e acompanhamento do processo de desestatização, ao passo que o Banco Nacional do Desenvolvimento Econômico e Social recebe a competência de contratar os serviços e prover o apoio técnico necessário à execução da desestatização.

(Por Priscila Jordão)