Governo grego se defende sobre tensões com banco central

quinta-feira, 14 de maio de 2015 12:12 BRT
 

Por Renee Maltezou e Lefteris Papadimas

ATENAS (Reuters) - O governo de esquerda da Grécia tentou desviar críticas nesta quinta-feira sobre as tensões com o banco central do país, dizendo que respeita a independência da entidade mas que é livre para castigar o presidente por ações tomadas como ministro das Finanças.

As relações do presidente Yannis Stournaras com o governo estão sob observação nos últimos dias, após um jornal o acusar de prejudicar as conversas da Grécia com credores e autoridades do governo o criticarem abertamente sobre outras questões.

"O governo grego não abriu nenhuma questão com o Sr. Stournaras. Se questões vieram à tona, não foi por conta de iniciativas do governo", disse o porta-voz do governo, Gabriel Sakellaridis, a repórteres. "A questão da independência do banco central, que é totalmente respeitada pelo governo grego, é acima de tudo um problema para o banco central defender."

Qualquer deterioração das relações entre os dois lados poderia piorar as já difíceis conversas entre a Grécia e seus credores da União Europeia e Fundo Monetário Internacional, que já estão irritados com o que dizem ser uma recusa do governo grego em aceitar as regras europeias.

As tensões acontecem em meio a progressos limitados nas conversas com credores sobre um acordo de dinheiro em troca de reformas, à medida que a Grécia rapidamente fica sem dinheiro. Atenas esvaziou uma conta de reservas no FMI para pagá-lo nesta semana, mas agora enfrenta pagamentos de salários e aposentadorias neste mês e novas dívidas em junho.

"A economia grega, e o povo grego, estão pagando da própria carne e como continuam pagando... isto danifica qualquer perspectiva de crescimento", disse Sakellaridis, acrescentando que Atenas tentará seu melhor para cumprir as obrigações, mas precisa de mais dinheiro.