BNDESPar tem prejuízo de R$891 milhões no 1ºtrimestre

sexta-feira, 15 de maio de 2015 20:27 BRT
 

RIO DE JANEIRO (Reuters) - A BNDESPar, unidade de participações acionárias do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), teve prejuízo de 891 milhões no primeiro trimestre de 2015, informou a empresa nesta sexta-feira.

O resultado foi pressionado por provisão de 1,09 bilhão de reais registrada por conta de desvalorização de ativos de sua carteira, líquido de efeitos tributários.

Um ano antes, a empresa teve lucro líquido de primeiro trimestre de 181 milhões de reais.

Cerca de 70 por cento do prejuízo do período, equivalentes a 733 milhões de reais, decorreu de investimento em ações preferenciais da Vale, resultado de aumento de capital do BNDES subscrito pela União em 2009.

"O desempenho do primeiro trimestre de 2015 decorreu do acentuado declínio do valor de mercado das ações da Vale no período, que acompanhou a queda do preço do minério de ferro", disse o BNDESPar.

A instituição disse ainda, que o registro da desvalorização dos ativos, entretanto, não representa uma perda financeira efetiva, já que as ações não foram alienadas, acrescentando que os papéis preferenciais da Vale já se valorizaram cerca de 15 por cento desde a data do balanço até o fechamento do pregão desta sexta-feira.

A ação preferencial da Vale encerrou a sessão desta sexta-feira a 17,79 reais ante 16,49 reais no final de março. Já os papéis ordinários passaram no período de 19,10 para 21,28 reais.

"A exposição total da BNDESPar na Vale engloba ações ordinárias de emissão da Vale e da sua controladora Valepar, além dos preferenciais. No consolidado do seu investimento na Vale, a BNDESPar tem ganho de capital potencial da ordem de 2 bilhões de reais, mesmo com a queda recente dos papéis da empresa", afirmou a empresa.

Sobre a posição do BNDESPar em ações da Petrobras, a empresa afirma no balanço que decidiu pelo não reconhecimento de perda no valor recuperável no trimestre corrente, assim como no exercício findo em 31 de dezembro de 2014. Com isso, foram mantidos no patrimônio líquido 5,5 bilhões de reais, líquidos de impostos.   Continuação...