Vendas do Wal-Mart decepcionam com consumidores preferindo poupar mais

terça-feira, 19 de maio de 2015 16:52 BRT
 

(Reuters) - A gigante Wal-Mart Stores entrou nesta terça-feira na lista de varejistas dos Estados Unidos que apresentaram resultados no primeiro trimestre decepcionantes, com as vendas sendo atingidas pela decisão dos consumidores de aumentar a poupança e segurar os gastos.

As ações da maior varejista do mundo caíram 4,5 por cento após a divulgação de vendas e lucro abaixo das estimativas dos analistas. As perspectivas para o lucro no segundo trimestre também ficaram abaixo das expectativas.

Os resultados ilustram os obstáculos enfrentados pelo presidente-executivo, Doug McMillon, que assumiu o cargo há 15 meses. A empresa espera que o investimento de 1 bilhão dólares em salário e treinamento irá tornar os empregados mais engajados e impulsionar as vendas nas cerca de 4.500 lojas nos Estados Unidos.

O lucro líquido da Wal-Mart caiu para 3,34 bilhões dólares, ou 1,03 dólar por ação, no primeiro trimestre encerrado em 30 de abril, ante 3,59 bilhões, ou 1,11 dólar por ação, um ano antes. Analistas em média previam lucro de 1,04 dólar por ação, segundo a Thomson Reuters I/B/E/S.

A receita caiu para 114,83 bilhões de dólares ante 114,96 bilhões no primeiro trimestre de 2014. A queda reflete o impacto do dólar mais forte, que reduziu o valor das vendas no exterior em cerca de 3,3 bilhões de dólares.

Para o segundo trimestre, a Wal-Mart prevê lucro entre 1,06 e 1,18 dólar por ação, ante estimativa média de analistas de 1,17 dólar. A empresa espera que o dólar mais forte e o aumento dos salários terão impacto de 8 centavos de dólar no lucro por ação.