Ecorodovias avalia venda de Ecoporto e Elog; prioriza rodovias e analisa aeroportos

quarta-feira, 20 de maio de 2015 16:39 BRT
 

Por Priscila Jordão

SÃO PAULO (Reuters) - A Ecorodovias avalia desinvestimento em seu terminal em Santos, o Ecoporto, e na operadora de logística Elog, tendo decidido priorizar oportunidades de negócios no setor de rodovias e analisar sua entrada no segmento aeroportuário.

A Ecoporto e a Elog têm pesado nos resultados da Ecorodovias, minimizando o efeito em seu balanço do crescimento do tráfego em rodovias administradas pela companhia.

No primeiro trimestre deste ano, o lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda, na sigla em inglês) da Ecoporto recuou quase 55 por cento contra um ano antes. Na Elog, a geração de caixa desabou mais de 90 por cento entre os dois períodos.

No caso do Ecoporto, o presidente da Ecorodovias, Marcelino de Seras, disse nesta quarta-feira que analisa uma possível fusão ou venda do ativo. Segundo ele, a companhia tem sido assediada por outras empresas no porto de Santos.

"A partir deste momento, vamos começar a estabelecer de maneira mais formal tentativas de entendimentos", disse o presidente da Ecorodovias em teleconferência com analistas.

Para a Elog, está em avaliação sua venda integral, inclusive via separação dos ativos em blocos para maximizar o valor, diante do desempenho recente abaixo do esperado.

Na terça-feira, a Ecorodovias informou que a BRZ Investimentos exerceu opção de venda das ações que tinha indiretamente na Elog por 214 milhões de reais de reais, atualizado pelo IPCA mais 6 por cento ao ano até a liquidação do negócio, prevista para ocorrer em até dois meses.

A Ecorodovias passará a ter 100 por cento do capital da Elog, o que dará mais flexibilidade para que reestruture os ativos de logística.   Continuação...