Tribunal pede fiança de 18 mi de euros para liberar contas de ex-diretor do FMI

quinta-feira, 21 de maio de 2015 12:44 BRT
 

MADRI (Reuters) - Um tribunal espanhol ordenou nesta quinta-feira que Rodrigo Rato, ex-chefe do FMI e ex-ministro da Economia da Espanha, pague 18 milhões de euros como condição para o desbloqueio de suas contas bancárias durante uma investigação de lavagem de dinheiro.

Rato, um ex-líder do partido conservador Partido do Povo (PP), se tornou uma vergonha para o governo em um ano eleitoral. O inquérito sobre assuntos fiscais por supostas fraudes e patrimônios não-declarados segue outras investigações judiciais.

Ele nega as acusações.

Os dois principais partidos da Espanha esperam grandes perdas nas eleições municipais e regionais, refletindo a atenção dos espanhois com a corrupção política e econômica.

(Reportagem de Elisabeth O'Leary)

((Tradução Redação São Paulo, 5511 56447759)) REUTERS CS ES

 
Ex-diretor-geral do FMI Rodrigo Rato chega em seu escritório em Madri. 17/04/2015 REUTERS/Andrea Comas