BC do Japão avalia economia com mais otimismo; mantém política monetária

sexta-feira, 22 de maio de 2015 08:07 BRT
 

Por Leika Kihara e Tetsushi Kajimoto

TÓQUIO (Reuters) - O banco central do Japão melhorou levemente sua avaliação sobre a economia nesta sexta-feira e seu presidente relevou a necessidade de mais estímulos monetários, descartando preocupações do mercado com a possibilidade de a recuperação ser lenta demais para acelerar a inflação em direção à meta.

Sinalizando sua confiança de que a terceira maior economia do mundo superou a estagnação, o banco central revisou sua avaliação sobre o consumo privado e o investimento imobiliário --áreas mais afetadas pelo aumento do imposto sobre vendas no ano passado.

O presidente do BC, Haruhiko Kuroda, afirmou que o consumo deve crescer à medida que os salários sobem, mantendo o Japão em vias de alcançar a meta de inflação de 2 por cento do Banco do Japão em algum momento nos seis meses que antecedem setembro de 2016.

"Tanto para famílias quanto para empresas, um ciclo positivo está começando" em que o aumento da renda gera mais gastos, disse ele a jornalistas após a reunião. "Esperamos que a tendência da inflação melhore gradualmente, então não estamos considerando afrouxamento monetário adicional agora".

Como amplamente esperado, o banco central japonês manteve sua promessa de aumentar a base monetária --dinheiro e depósitos no banco central-- a um ritmo anual de 80 trilhões de ienes (660 bilhões de dólares) por meio de compras de títulos do governo e ativos de alto risco.

(Reportagem de Leika Kihara, Stanley White, Tesushi Kajimoto e Mari Saito)