Ibovespa cai 5% em semana com apreensão sobre alta de tributos e ajuste em Petrobras

sexta-feira, 22 de maio de 2015 18:05 BRT
 

Por Paula Arend Laier

SÃO PAULO (Reuters) - A Bovespa fechou em queda nesta sexta-feira, completando quatro pregões de baixa em uma semana marcada por recuo da Petrobras e apreensão sobre potenciais efeitos nas empresas de medidas para melhorar as contas públicas, especialmente bancos.

O principal índice da bolsa paulista caiu 1,33 por cento, a 54.377 pontos, cedendo 5 por cento na semana, que teve apenas a quinta-feira positiva. Nesta sexta, o governo anunciou corte de 69,946 bilhões de reais no Orçamento de 2015.

O volume financeiro desta sessão na bolsa alcançou 7,77 bilhões de reais.

O governo federal publicou medida provisória elevando a alíquota da Contribuição Social sobre o Lucro Líquido (CSLL) de instituições financeiras, de 15 para 20 por cento, confirmando especulações sobre elevação de tributo para o setor.

Próximo do fechamento, os Ministérios do Planejamento e da Fazenda também anunciaram que o corte no Orçamento da União de 2015 será de 69,946 bilhões de reais, incluindo redução de 9,4 bilhões de reais em Educação e 11,8 bilhões de reais em Saúde, em linha com o previsto pelo mercado.

No exterior, a chair do Federal Reserve, Janet Yellen, corroborou o tom negativo na Bovespa ao afirmar no início da tarde que espera elevação dos juros nos Estados Unidos neste ano, uma vez que a economia do país caminha para se recuperar da fraqueza no primeiro trimestre.

DESTAQUES

ITAÚ UNIBANCO e BRADESCO perderam 2,1 por cento, enquanto BANCO DO BRASIL caiu 3,4 por cento e SANTANDER BRASIL cedeu 1 por cento após o governo elevar a alíquota da CSLL do setor financeiro de 15 para 20 por cento. O BTG Pactual avaliou que o impacto no lucro dos bancos em 2016 deve ser de 5 a 8 por cento. Os quatro bancos recuaram em todos os pregões da semana, com Itaú, Bradesco e BB acumulando declínio de 9 a 10 por cento, e Santander Brasil perdendo cerca de 6 por cento.   Continuação...