Grécia pode cobrar imposto em caixas eletrônicos e para legalizar dinheiro no exterior

terça-feira, 26 de maio de 2015 11:26 BRT
 

ATENAS (Reuters) - A Grécia está avaliando a adoção de uma pequena cobrança sobre saques em caixas eletrônicos para encorajar o uso de cartões de crédito, como parte de um pacote de medidas para combater a evasão fiscal, disse nesta terça-feira o ministro das Finanças grego, Yanis Varoufakis.

"Pode haver, por exemplo, uma pequena taxa sobre saques em caixas eletrônicos. Isso está sob discussão como um incentivo para usar (dinheiro de) plástico ... Isso ainda não foi decidido", disse Varoufakis a repórteres. "Pode ser uma cobrança muito pequena". Ele descartou categoricamente qualquer imposto sobre depósitos bancários.

Ele disse também que Atenas está em conversas com autoridades da Suíça sobre um plano para oferecer a contribuintes que tenham depósitos no exterior a chance de declará-los de maneira voluntária, pagarem os impostos e assim evitarem sanções mais duras.

Sob o chamado acordo de manifestação voluntária, gregos com rendimentos anteriormente não relatados em bancos suíços poderão regularizá-los pagando uma taxa potencial de 15 por cento.

"A uma taxa tributária muito baixa, digamos 5 por cento, existe a questão moral de legalizar a evasão fiscal. Com uma taxa alta de digamos 30 por cento, há o risco de que estes depósitos fujam para as ilhas Caymann ou outros paraísos fiscais", disse Varoufakis.

A Grécia não busca a repatriação do dinheiro, e sim taxá-lo para aliviar seu aperto financeiro. Poupadores com rendimentos não declarados depositados em bancos gregos terão a mesma chance, mas possivelmente vão enfrentar um imposto maior de 30 por cento, disse o ministro.

(Por Lefteris Papadimas e George Georgiopoulos)