Inadimplência sobe no Brasil em abril, estoque de crédito tem leve alta

quarta-feira, 27 de maio de 2015 12:18 BRT
 

Por Marcela Ayres

BRASÍLIA (Reuters) - A inadimplência no mercado de crédito brasileiro subiu em abril, ao mesmo tempo em que a taxa de juros média avançou num mês que registrou tímido aumento do estoque total de financiamentos, conforme dados divulgados pelo Banco Central nesta quarta-feira.

Em meio à franca desaceleração econômica e do mercado de trabalho, o estoque total de crédito no Brasil teve variação positiva de apenas 0,1 por cento em abril sobre março, alcançando 3,061 trilhões de reais, o equivalente a 54,5 por cento do Produto Interno Bruto. Em março, o crédito representava 54,8 por cento do PIB.

Segundo o chefe do Departamento Econômico do BC, Tulio Maciel, o crescimento dos financiamentos arrefeceu, já que no mesmo mês do ano passado o estoque havia tido alta de 0,7 por cento.

"Esse crescimento menor do crédito é comportamento consistente com o ciclo de política monetária, com a alta dos juros", afirmou ele, acrescentando que o resultado está em linha com pesquisa do BC que apontava um segundo trimestre mais restritivo para novas concessões de crédito tanto do lado da oferta quanto da demanda.

Maciel também chamou a atenção para a influência do câmbio no período: da mesma forma que em março a valorização do dólar inflou o estoque de financiamentos, em especial daqueles ligados às operações do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), em abril ocorreu o contrário, diante da queda da moeda norte-americana ante o real.

O chefe do Departamento Econômico do BC afirmou que, excluído o efeito da variação cambial, o crescimento no estoque total de crédito seria de 0,3 a 0,4 por cento em abril.

No acumulado do ano, esse saldo teve variação positiva de 1,4 por cento, sendo que o BC projeta uma expansão de 11 por cento para 2015, conforme estimativa de março que será atualizada novamente em junho.

  Continuação...

 
A woman rides her bicycle past a graffiti mocking the Brazilian currency note, the real, in downtown Rio de Janeiro July 31, 2014. REUTERS/Pilar Olivares (BRAZIL - Tags: POLITICS SOCIETY BUSINESS)