BTG Pactual vende parte de fatia detida na Rede D'Or São Luiz por R$1,6 bi

quarta-feira, 27 de maio de 2015 20:27 BRT
 

SÃO PAULO (Reuters) - O BTG Pactual anunciou nesta quarta-feira que vendeu ao fundo soberano de Cingapura, Singapore Investment Corporation (GIC), ações próprias e de terceiros sob sua gestão na Rede D'Or São Luiz por 1,6 bilhão de reais.

O BTG informou ainda que as ações vendidas representam parcela da participação total detida pelos investidores na maior rede privada de hospitais do Brasil.

Mais cedo, duas fontes afirmaram à Reuters que além da compra das ações detidas pelo BTG, o GIC estava comprando papéis da família Moll, fundadora e maior acionista do grupo de hospitais, para atingir participação de 16 por cento na empresa. O valor total do negócio é de cerca de 3,3 bilhões de reais.

Representantes da família Moll não puderam ser contatados.

A compra da fatia na Rede D'Or pelo GIC acontece um mês depois do gestor de fundos de private equity Carlyle aceitar pagar 1,75 bilhão de reais para virar sócio da rede de hospitais, na primeira grande transação no segmento no país desde que o governo federal permitiu no começo do ano a entrada de capital estrangeiro no setor hospitalar.

Segundo uma fonte com conhecimento direto do assunto, concluída a transação, que será paga em dinheiro, a família Moll seguirá como principal acionista, com aproximadamente 62 por cento das ações da Rede D´Or. BTG Pactual e o GIC terão cerca de 15 por cento cada, enquanto o Carlyle ficará com os 8 por cento restantes.

O plano dos acionistas do grupo hospitalar, como anunciou o BTG Pactual em abril, é investir 1,5 bilhão de reais em expansão ainda e 2015.

O negócio reforça a parceria do GIC com o BTG. O fundo de Cingapura participou do consórcio que investiu cerca de 1,8 bilhão num aumento do capital do banco.

A Rede D'Or, que opera 27 hospitais em quatro Estados do país, teve receita no ano passado de 5,5 bilhões de reais e lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda) de cerca de 930 milhões.

(Por Aluísio Alves, com reportagem adicional de Guillermo Parra-Bernal)