Petrobras não vai republicar balanço do 1º tri, diz conselheiro

quinta-feira, 28 de maio de 2015 13:39 BRT
 

SÃO PAULO (Reuters) - A Petrobras foi cuidadosa ao lançar no balanço do primeiro trimestre valores de uma transação com a Eletrobras oficializada posteriormente, disse nesta quinta-feira o integrante do Conselho de Administração da estatal Walter Mendes.

"Foi um fato material baseado nas regras do mercado", disse Mendes a jornalistas, durante evento promovido pela Associação de Investidores no Mercado de Capitais (Amec).

Na semana passada, o presidente da Comissão de Valores Mobiliários (CVM), Leonardo Pereira, indicara que a estatal poderia ter que republicar o balanço, se ficasse comprovado que ela lançou no resultado operações posteriores a março.

A decisão da autarquia será baseada na orientação do Comitê de Pronunciamentos Contábeis (CPC), órgão independente que emite pareceres sobre contabilidade e que em geral são adotados pela CVM como norma para as companhias listadas em bolsa.

No primeiro trimestre, a Petrobras teve lucro líquido de 5,3 bilhões de reais. O balanço incluiu 1,3 bilhão de reais ligados à reversão de provisão de dívidas de subsidiárias da Eletrobras, o que foi oficializado apenas em maio.

A norma CPC 24 rege o tratamento contábil que deve ser dado a eventos subsequentes ao período a que se referem o balanço. Um trecho da norma permite inclusão de eventos posteriores quando ficar evidente que já haviam condições na data final do período contábil para lançamento de tais operações.

"Temos no Conselho (de Administração) um membro que é uma das maiores autoridades em contabilidade do país", argumentou Mendes. "Estamos muito tranquilos com o que foi feito".

(Por Aluísio Alves)

 
Sede da Petrobras, no Rio de Janeiro.   16/12/2014      REUTERS/Sergio Moraes