Grécia não terá restante de resgate a menos que acordo seja esboçado até 5 de junho

quinta-feira, 28 de maio de 2015 18:19 BRT
 

DRESDEN (Reuters) - A Grécia não terá condições de obter o dinheiro ainda disponível sob seu plano de resgate atual se não acertar o esboço de um acordo de reformas em troca de recursos com os credores até o fim da próxima semana, disse uma autoridade da zona do euro nesta quinta-feira.

A mensagem foi transmitida a oficiais do governo grego em uma teleconferência com os representantes dos ministros das Finanças da zona do euro, o Grupo de Trabalho do Euro, que prepara as reuniões dos ministros das Finanças da região.

As instituições que representam os credores da Grécia --a Comissão Europeia, o Fundo Monetário Internacional (FMI) e o Banco Central Europeu (BCE)-- disseram que o progresso nas conversas com a Grécia foi muito lento e um acordo ainda estava fora de alcance, disse a autoridade à Reuters, falando sob condição de anonimato.

Os principais pontos de discórdia continuam sendo uma reforma da previdência, a liberalização do mercado de trabalho e a necessidade de Atenas de vender mais bens do Estado para gerar dinheiro --nenhum dos quais o governo de esquerda de Alexis Tsipras quer fazer.

"Para obter um desembolso até o fim de junho, teria que haver algum tipo de um acordo até o fim da próxima semana para que fosse finalizado e aprovado pela assembleia do Grupo de Trabalho em 11 de junho e, em seguida, pelo Eurogrupo e nos procedimentos nacionais --tudo seria muito apertado", disse a autoridade da zona do euro.

"Basicamente, se não houver acordo até o fim da próxima semana, é impossível ter um desembolso até o fim de junho. O dinheiro é perdido", disse o oficial.

(Por Jan Strupczewski)