COLUNA-Recessão no Brasil piora mais rápido do que mercado imaginava

sexta-feira, 29 de maio de 2015 08:16 BRT
 

Por Silvio Cascione

BRASÍLIA (Reuters) - (O autor é correspondente sênior do Serviço Internacional da Reuters no Brasil. As opiniões expressas são do autor do texto)

A recessão é grave e se aprofunda a cada semana, muito mais rapidamente do que imaginavam economistas das principais instituições financeiras do Brasil.

Eles próprios admitem, em conversas reservadas.

Oficialmente, a projeção de mercado para o crescimento do PIB este ano é de -1,24 por cento. Mesmo tendo piorado significativamente nos últimos seis meses, ela ainda é boa demais para ser verdade, segundo a maioria dos economistas entrevistados pela Reuters em condição de anonimato.

Nesta semana, Itaú (ITUB4.SA: Cotações) e Bradesco BBDC4.SA, os dois maiores bancos privados do Brasil, transpareceram publicamente essa preocupação. Segundo o economista-chefe do Itaú e ex-diretor do Banco Central, Ilan Goldfajn, -1.5 por cento "parece otimista".

Longe dos microfones, colegas de Ilan de outras instituições financeiras não poupam palavras para descrever a situação atual. A economia está "paralisada", "estrangulada", "esmilinguindo", segundo relatos de profissionais que acompanham diariamente as condições econômicas.

Ainda não há confirmação oficial. Mas todas as expectativas para o resultado do PIB do primeiro trimestre, a ser divulgado na sexta-feira, estão abaixo de zero. As projeções para o segundo trimestre são ainda piores.   Continuação...