Superávit do setor público é melhor que esperado em abril, mas distância para meta persiste

sexta-feira, 29 de maio de 2015 12:12 BRT
 

Por Marcela Ayres

BRASÍLIA (Reuters) - O setor público brasileiro registrou superávit primário de 13,445 bilhões de reais em abril, acima do estimado por analistas, mas em resultado que não evitou que o déficit primário como proporção do Produto Interno Bruto (PIB) em 12 meses registrasse sua pior marca desde o início da série, em dezembro de 2001.

Conforme dados divulgados nesta sexta-feira pelo Banco Central, o superávit primário no mês foi guiado pela contribuição positiva do governo central (10,638 bilhões de reais), governos regionais (2,599 bilhões de reais) e empresas estatais (208 milhões de reais).

Com isso, o resultado total ficou acima do saldo positivo de 10,5 bilhões de reais projetado por analistas para abril, segundo pesquisa Reuters. [BRPSPS=ECI]

Em 12 meses, contudo, o déficit primário do setor público subiu a 0,76 por cento do PIB, resultado mais fraco da série histórica do BC.

"Os resultados ainda se mostram negativos, deficitários, por incorporarem principalmente os desempenhos do ano passado, sobretudo no segundo semestre", afirmou o chefe do Departamento Econômico do BC, Tulio Maciel.

"À medida que esses resultados forem sendo substituídos pelos desempenhos mais recentes, isso também vai mostrar uma melhora na métrica em 12 meses. Na margem, os desempenhos (deste ano) estão mais alinhados à trajetória da meta", disse.

Nos quatro primeiros meses do ano, a economia de gasto para o pagamento dos juros da dívida pública somou 32,448 bilhões de reais, abaixo dos 42,527 bilhões de reais de igual período de 2014.

O governo busca alcançar a meta de superávit primário de 66,3 bilhões de reais neste ano, ou 1,1 por cento do PIB, em meio a um cenário de enfraquecimento da economia.   Continuação...

 
Sede do Banco Central, em Brasília.  15/01/2015    REUTERS/Ueslei Marcelino