Preço do boi gordo tem série mais longa de quedas semanais em 2 anos

sexta-feira, 29 de maio de 2015 19:01 BRT
 

Por Gustavo Bonato

SÃO PAULO (Reuters) - Os preços do boi gordo no mercado brasileiro tiveram a quinta semana consecutiva de perdas, algo que não ocorria desde maio de 2013, com as cotações pressionadas pela menor demanda do mercado consumidor de carne e por um ligeiro aumento sazonal da oferta.

O indicador Esalq/BM&FBovespa, que serve de referência para o mercado nacional, fechou a 146,48 reais/arroba nesta sexta-feira, queda de 0,45 por cento na semana e recuo de 2,8 por cento desde 20 de abril, quando atingiu o recorde de 150,65 reais por arroba.

Antes das cinco semanas de queda, o indicador acumulava uma sequência de sete semanas de alta, ao final da qual atingiu a máxima histórica em meados do mês passado.

"A gente está sentindo efeitos da redução de renda do consumidor. O mercado (de carne no) atacado vem registrando baixas há algumas semanas", explicou o diretor da consultoria Informa Economics FNP, José Vicente Ferraz.

Segundo ele, o preço da carne de frango tem caído de maneira acentuada, o que leva muitos consumidores a mudar em parte os hábitos de consumo, preferindo a proteína mais barata.

Tradicionalmente, o mês de maio também é de baixa nos preços do boi gordo no centro-sul do país, com pecuaristas realizando vendas aos frigoríficos devido à deterioração dos pastos provocada pelo fim da temporada de chuvas de verão.

Esse movimento, definido por muitos como a "safra do boi gordo", é um dos fatores que ajudaram a pressionar as cotações nas últimas semanas, mas especialistas destacam que as vendas estão bem mais restritas este ano do que nos anteriores, limitando a queda de preços.

"Em muitas regiões não há situação crítica de pastagem seca. Isso permite que alguns pecuaristas segurem os animais", disse a analista de pecuária da Scot Consultoria Maísa Módulo. "Essa pressão de baixa não é tão forte. Em algumas praças há até uma alta (nos preços do boi gordo)."   Continuação...