Indústria da China tem dificuldade em crescer, demanda por exportação cai, mostram PMIs

segunda-feira, 1 de junho de 2015 09:05 BRT
 

Por Koh Gui Qing

PEQUIM (Reuters) - O crescimento do setor industrial da China atingiu em maio a máxima em seis meses, mas a demanda por exportações encolheu de novo, levando empresas a cortar vagas e mantendo vivas as preocupações com a desaceleração econômica, mostrou nesta segunda-feira a pesquisa Índice de Gerentes de Compras (PMI, na sigla em inglês) oficial.

Em um sinal de que a pior desaceleração da China em ao menos seis anos está afetando as empresas de serviços também, o PMI oficial mostrou que o crescimento desse setor caiu a níveis não vistos em mais de cinco anos.

"A economia da China ainda enfrenta fortes obstáculos", disseram em nota economistas do ANZ Bank. "Se as fugas de capital mantiverem o ritmo do primeiro trimestre, esperamos que o banco central corte a taxa de compulsório em mais 1 ponto percentual, além de mais um corte da taxa de juros em ao menos 0,25 ponto percentual".

O PMI oficial de indústria avançou para 50,2 em maio ante 50,1 em abril, informou em seu site a Agência Nacional de Estatísticas, em linha com a expectativa de analistas de 50,2. Leitura acima de 50 indica crescimento.

Já o PMI oficial de serviços caiu para 53,2, mínima desde dezembro de 2008, ante 53,4 em abril.

Enquanto as pesquisas oficiais tendem a se concentrar em empresas maiores e estatais, uma pesquisa privada que se foca em indústrias menores e de médio porte mostrou contração pelo terceiro mês seguido, com as encomendas para exportação recuando no ritmo mais forte em quase dois anos.

O PMI final de indústria do HSBC/Markit ficou em 49,2 em maio, contra preliminar de 49,1 e 48,9 em abril.

 
Homem trabalhando na linha de produção de uma fábrica na província de Liaoning, na China.  21/08/2014  REUTERS/Stringer